Estêvão Lopes Morago (Vallecas, Madrid, 1575? ~ Orgens, Viseu, 1630?) estudou no Colégio dos Moços do Coro, na Sé de Évora, com Filipe de Magalhães, entre 1592 até 1596, tornando-se bacharel a 3 de Março de 1596. A 15 de Agosto de 1599 é nomeado mestre de capela da Sé de Viseu. Foi ordenado padre e licenciado antes de 27 de Setembro de 1605, quando obteve um benefício em S. Pedro de Cota. Vinte e cinco anos passados da sua nomeação como mestre de capela, Morago mostrou intenção de publicar grande parte da sua música, concedendo-lhe o Cabido, a 14 de Janeiro de 1626, uma licença de um mês para tratar das negociações em Lisboa com o impressor real. Estas negociações revelaram-se infrutíferas, tendo regressado a Viseu, onde supervisionou a cópia de dois manuscritos, ostentando um destes no frontispício a data de 15 de Agosto de 1628. A obra musical de Morago encontra-se em dois manuscritos: o primeiro destes, o Livro da Coresma, para além das obras para o período quaresmal, também contém obras o Advento, Natal, Purificação e ofício de defuntos; o segundo, o Vesperal, contém salmos, hinos e Magnificat.

Luís Henriques