O Ensemble MPMP é um grupo de instrumentação flexível que tem desenvolvido, desde 2012, um trabalho de proximidade com musicólogos e compositores com vista à redescoberta de património passado e à valorização de repertórios contemporâneos. Tem-se apresentado no Festival Prémio Jovens Músicos (Centro Cultural de Belém, em 2013, e Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em 2015) e no Festival de São Roque (2013, 2014, 2015 e 2017), tendo estreado modernamente obras de Marcos Portugal (1762-1830), João José Baldi (1770-1816), D. Pedro IV (1798-1834), Joaquim Casimiro Júnior (1808-1862), Francisco Norberto dos Santos Pinto (1815-1860), Francisco de Freitas Gazul (1842-1925) e Augusto Machado (1845-1924). Em Março de 2014 o duo de piano a quatro mãos e o quarteto d’arcos do Ensemble MPMP apresentaram-se no Brasil (Brasília, Goiânia, Belo Horizonte, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro) no âmbito da digressão Música portuguesa em viagem, no contexto da qual gravou um programa exclusivo de 50 minutos para a TV Brasil. Em 2015 levou à cena as óperas O cavaleiro das mãos irresistíveis e Cai uma rosa…, respectivamente de Ruy Coelho (1889-1986) e de Daniel Moreira (1983-), nos Teatros Municipais de Almada e do Porto. Colaborou com o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, aquando do lançamento da revista glosas n.º 8,  e concebeu os projectos Latitudes, um ciclo que teve como principal objectivo a interpretação de autores portugueses vivos de diversas origens, experiências, locais e escolas, e Música portátil, ciclo dedicado à divulgação de obras de câmara de diversos períodos e incluindo sempre estreias absolutas de jovens compositores. Com a participação especial da pianista Ana Telles, apresentou o concerto de lançamento de um CD integralmente dedicado a obras de João Pedro Oliveira (Mosaic, ed. MPMP). Recentemente, participou no Festival Dias da Música 2017 (Centro Cultural de Belém), apresentando o Requiem à memória de Camões de João Domingos Bomtempo, evento que foi transmitido televisivamente pela RTP.

EQUIPA

direcção musical
Jan Wierzba

instrumentistas

flautas transversais
Dina Hernandez, Tatiana Nunes Rosa, Tiago Canto

oboés
Bethany Akers Carmo, Natacha Fernandes, Sofia Brito

clarinetes
Hugo Azenha, Miguel Costa, Rui França Ferreira

fagotes
Rafaela Oliveira, Ricardo Santos, Tatiana Martins

trompas
Armando Camolas Martins, João Gaspar

trompete
Davide Lopes, Filipe Lopes, Óscar Carmo

trombone
Victor Ferreira

pianos
Duarte Pereira Martins, Isa Antunes, Philippe Marques

órgão
José Carlos Araújo

percussões
Andreu Esteve, Miguel Filipe, Tomás Moital

violinos
Ana Filipa Serrão, Berta Mariana, César Nogueira,
Cristiana Abreu, Daniel Bolito, João Vieira de Andrade,
Lyza Valdman, Marcelo Abreu, Miguel Gomes,
Francisco Moser, Sandra Rosinha

violetas
Ana Monteverde, Amadeu de Resendes, Diana Luís,
Juliana Lopes, Leonor Fleming, Rita Cardona,

violoncelos
Catarina Távora, Nuno M. Cardoso, Ricardo Mota,
Ricardo Ferreira, Tiago Rosa, Válter Freitas

contrabaixos
Bruna Domingues, Miguel Menezes, Samuel Pedro

electrónica
Luís Salgueiro

coralistas

sopranos
Ana Catarina Tomás, Ariana Russo, Beatriz Nunes,
Clara Coelho, Inês Rasquinho, Mariana Moldão,
Margarida Pinheiro, Mónica Antunes, Raquel Pedra,
Susana Duarte

contraltos
António Menezes, Arthur Filemon, Beatriz Cebola,
Beatriz Miranda, Elsa Gomes,  Joana Tavares,
Luísa Mirpuri, Manon Marques, Mariana Monteiro,
Margarida Simas, Michelle Rollin Rodrigues,
Rita Morão Tavares

tenores
Frederico Projecto, Gerson Coelho, João Pedro Afonso,
Jorge Leiria, Miguel Silva, Pedro Louzeiro,
Pedro Matos, Pedro Miguel, Pedro Rodrigues

baixos
Carlos Eduardo Martins, Eduardo Martins,  Miguel Jesus,
Nuno Fidalgo, Pedro Casanova,  Rui Bôrras,
Sérgio Silva, Tiago Gomes, Tiago Oliveira

musicologia
Edward Luiz Ayres d’Abreu

musicografia
Luís Salgueiro

produção
Duarte Pereira Martins

logotipo
Filipa Rocha / www.behance.net/filipa-rocha

DIRECÇÃO MUSICAL

Jan Wierzba

Natural da Polónia e educado no Porto, Jan Wierzba é um dos mais promissores e versáteis directores de orquestra da actualidade, destacando-se em repertório diversificado, desde a música antiga até à música contemporânea. Nutrindo interesse por diversas formas de expressão artística, apresentou-se em contexto sinfónico, sinfónico-coral e coral a cappella, trabalhando nas áreas do teatro e da ópera e em inúmeros projectos educativos. É Director Artístico e Maestro Titular do Ensemble MPMP, da Orquestra Clássica do Centro e da Orquestra de Câmara de Almada, bem como Maestro Assistente da Netherlands Philharmonic Orchestra, em Amesterdão. Projectos recentes e futuros incluem programas com a Netherlands Philharmonic Orchestra, Real Filarmonia de Galicia, Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Portuguesa,  Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Netherland Chamber Orchestra, Orquestra Clássica de Coimbra, Orquestra Clássica de Espinho e Síntese GMC.
 
Foi Maestro Residente no Operosa Festival, que teve lugar na Sérvia e em Montenegro, e participou numa série de masterclasses com foco em ópera sob a tutoria de Carlo Rizzi, ao abrigo da rede ENOA (European Network for Opera Academies). Trabalhou com Bernard Haitink no Lucerne Festival Strings e foi Assistente de Maestro de Coro na Ópera Nacional Holandesa. Foi um dos cinco seleccionados para a Masterclass em Direcção de Orquestra com Mathias Pintscher, durante o Festival de Lucerna, um dos quinze jovens artistas convidados a participar na International Community Arts Academy, organizado em conjunto pela Filarmónica de Berlim, London Sympony Orchestra e Festival d’Aix-en-Provence, tendo também participado no workshop “Opera in Creation” durante o Festival d’Aix-en-Provence. Trabalhou como assistente de Joana Carneiro, Jac van Steen, Vassily Petrenko, Pedro Carneiro, Marc Tardue, Sir Andrew Davis e Juanjo Mena, tendo ainda trabalhado em masterclass com Neeme Jarvi, Jorma Panula, Juanjo Mena, Nicolas Pasquet, Sir Mark Elder e Paavo Jarvi, entre outros.
 
Enquanto bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, terminou o Mestrado em Direcção na Royal Northern College of Music (RNCM), onde estudou com Clark Rundell e Mark Heron. Licenciou-se em Direcção de Orquestra pela Academia Nacional Superior de Orquestra sob a tutoria do Maestro Jean-Marc Burfin. É Licenciado em Piano pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo no Porto, na classe de Constantin Sandu, e apresentou-se enquanto solista com orquestra, em recital a solo e em música de câmara. Foi vencedor do 1.º Prémio em Música de Câmara do Prémio Jovens Músicos, do Mortimer Furber Prize for Conducting, do 3.º Prémio em Direcção de Orquestra do Prémio Jovens Músicos e do prémio do Rotary Club da Foz atribuído a três dos melhores licenciados da ESMAE. Foi-lhe ainda atribuída a bolsa da Yamaha Music Foundation for Europe.